Há muitos anos que utilizava o Lightroom para o meu processamento de ficheiros Raw. Há um ano atrás fui experimentar o Capture One, pois eles tinham um período experimental de 60 dias, salvo erro, que não precisávamos de pagar. Na altura estava curioso por experimentar um programa que muitos prós da industria falavam, especialmente quando faziam sessões utilizado o método tether.

Após ter terminado os 60 dias experimentais, acabei por assinar o programa, pois gostei muito da experiencia. O método tether era bastante rápido, o programa não bloqueava, o processamento Raw era diferente do Lightroom onde as imagem ficavam com uns tons que me agradavam bastante.

Só havia uma coisa que não me agradava muito no Capture One, o que fazia com que eu utilizasse os dois programas (Lightroom e Capture one). O Capture One não conseguia ler ficheiros PSD (ficheiros do photoshop), então acabava por utilizar o Lightroom mais como catalogo das minhas imagens já tratadas.

Há bem pouco tempo isto mudou, com a nova versão do Capture One veio a possibilidade de abrir, mexer, editar e manipular os ficheiros PSD dentro do próprio programa.

Posso-vos dizer que a partir desta ultima versão nunca mais usei o Lightroom…. pelo menos por agora 🙂

Quem tiver curiosidade em utilizar o Capture One, fiz um vídeo onde explica os primeiros passos a dar para começar a usar este programa. Apesar da maior parte das ferramentas serem bastante parecidas com o Lightroom, ao abrirmos o programa pela primeira vez pode ser assustador. Pelo menos com este vídeo espero que esse impacte não seja tão grande.

Então aqui fica o vídeo explicativo de como começar no Capture One Pro.

If you like this article please share it